#Fica a dica: Mr. Sunshine

segunda-feira, setembro 03, 2018

Hello sweeties! Cá estou de volta para passar dicas de séries... Porque, quando se está no mestrado a única opção de entretenimento viável é se afundar em séries kkkkk. Mas isso tem me permitido conhecer séries que fogem um pouco do que costumo ver (não em temática, mas em nacionalidade), e é o caso de Mr. Sunshine, série sul coreana da Netflix!


Bom, não é surpresa falar que é um dorama histórico, afinal, acho que 99% de minhas indicações são de séries e filmes históricos (é mal de historiador, sorry). Mas, vão por mim, ela trás um romance histórico, naquele formato de "romance impossível" mas com uma leveza bem interessante, e também ambientado num período que em si já é um drama: o período de intervenção americana a Coreia (Shinmiyangyo) e as disputas por domínio na região com o crescente Império Japonês. Nesse contexto, somos primeiramente apresentados ao pequeno Yoo-Jin (Lee Byung-hun), filho de escravos, que se vê obrigado a fugir para os Estados Unidos. Uma vez nos EUA, passa a ser chamado de Eugene (pela fonética parecida com Yoo-Jin), onde após sofrer muito como imigrante, entra para a marinha americana, tornando-se capitão. Ao chegar a Coreia, conhece Go Ae-Sin (Kim Tae Ri), uma filha de aristocratas, que tem uma vida paralela como assassina de um grupo de rebeldes pró-Coreia.

Go Ae-Sin (Kim Tae Ri), a aristocrata e assassina


Em meio ao romance entre eles, já impossível colocando na perspectiva de que ela é uma aristocrata e ele um plebeu nascido escravo, tem toda a trama sobre o destino do país, disputado por ingleses, americanos, russos e, especialmente, japoneses. Também tem personagens sensacionais, como Goo Dong-Mae (Yoo Yeon-Seok), chefe da Yakuza na região, que nasceu sendo filho de açougueiros (uma profissão muito mal vista na sociedade coreana) e foi obrigado a fugir de casa quando adolescente por conta das hostilidade, e volta como chefe da gangue de mercenários que domina o bairro japonês com as regras da máfia e realiza trabalhos duvidosos para os poderosos da cidade. Goo é apaixonado por Ae-Sin porque ela o salvou quando ele era adolescente, mas ele vive uma relação de amor e ódio com ela por conta das diferenças entre os dois. Outra personagem que se envolve nesse quadrilátero amoroso é Hee-Na (Kim Min-Jung), a dona de um hotel na cidade que o ganhou por herança de seu falecido marido japonês (que a morte parece ser um mistério). É uma mulher moderna e com costumes ocidentais e japoneses (apesar de ser coreana), e se apaixona por Yoo-Jin.

Goo Dong-Mae (Yoo Yeon-Seok) e Hee-Na (Kim Min-Jung)


Bom, como disse, vale a pena dar uma chance a este drama coreano histórico, porque é um ponto de vista que não estamos muito acostumados a ver nas narrativas de series e filmes (uma história com americanos em que eles não são os heróis) e também um romancezinho bem chiclete de bonitinho rsrsrs. Bom, espero que tenham curtido a dica e... Até a próxima!







  • Share:

Você pode gostar de:

0 comentários