#Fica a dica: El ministerio del tiempo

segunda-feira, março 12, 2018

Hello sweeties! Acho que nem cabe mais ficar sempre pedindo desculpas pelos meus sumiços recorrentes... Mas a título de defesa, estou numa fase de extra enrolação, com a dissertação do mestrado, mudança de endereço e tudo mais... A vida adulta não é fácil e eu quero voltar a ser do tempo em que as únicas preocupações era decorar os horários dos desenhos favoritos na tv e fazer o dever de casa!!!
Bom, mas voltando ao assunto que interessa, vamo falar de coisa boa? SÉRIES!!! Não é novidade que a Netflix sempre nos brinda com séries genias, tanto obras da casa como uma seleção de séries de outros países. Hoje quero falar de uma série que se tornou minha queridinha espanhola (junto com Las chicas del cable): El ministerio del tiempo! Uma série com uma ideia muito massa de enredo e... Viagens no tempo! Preciso falar mais???



O que me encanta nessa série foi como souberam renovar um tema que já está bem batidinho tanto no cinema como televisão: viagens no tempo. Temos desde O exterminador do futuro, De volta para o futuro, a Doctor Who e Outlander, mas El ministerio del tiempo inova com um certo tom de ironia. Bom, existe um ministério secreto no governo espanhol que guarda um enorme segredo: a existência de um poço nos subsolos de Madri, repleto de corredores com portas, e cada uma dessas portas te leva para um período histórico distinto. O dever desse ministério é literalmente preservar a história, não permitindo que ela se altere mesmo que, como eles dizem, saibam que o futuro seja uma mierda.
O que achei extremamente interessante é o paralelo que a gente consegue traçar entre o humor espanhol e o brasileiro, sempre irônico com seu futuro e extremamente ácido com o seu governo.

Os protagonistas: Alonso, Julián, Amelia e Pacino

O ministério não conta somente com agentes do tempo presente, ele recruta pessoas de todas as épocas, que tenham basicamente três perfis: intelectual, para ser o cérebro da equipe, o soldado e o negociador. Nesse perfil a gente sempre acompanha os protagonistas: Alonso de Entrerrios, um soldado do século XVI que não consegue se acostumar com os modos da sociedade atual (exceto seu amor por motos); Amelia Folch, a primeira universitária mulher na Espanha do século XIX, que é o cérebro da equipe, sempre sabendo de cor os acontecimentos históricos; Julián, um paramédico do presente, que vê no ministério a oportunidade de reviver as memórias de sua falecida esposa, e Pacino, um policial mulherengo dos anos 80.

Além disto tem vários personagens célebres da história espanhola e mundial que fazem ponta na série, em destaque o hilário Veslasquez (pra quem não sabe, um dos maiores nomes da pintura espanhola e mundial), que é agente do ministério pra aumentar sua renda e sempre se vangloriar de como ele influenciou pintores do "futuro", como Goya, Dali e Picasso.

Velasquez com certeza é um dos melhores personagens!

Gente, não só porque sou historiadora e me encanta ver uma série que traz toda uma carga (sem ser exaustiva) de história com uma leitura pop... Mas a série por si é uma crítica muito inteligente a própria Espanha que, como muitas vezes é citada, parece esquecer-se de seus filhos e só vive a vangloriar-se de seu passado de grandeza.

Bom, espero que o post tenha aumentado a curiosidade de vocês para conferir a série e... Até a próxima!


  • Share:

Você pode gostar de:

0 comentários