10 motivos para amar Doctor Who!

quarta-feira, março 29, 2017

Hello sweeties! Hoje estou aqui para falar de uma série que tenho uma relação bem conturbada, de amor e ódio... Mas também de muita admiração: Doctor Who! Bom, essa série tem uma legião de fãs e também de haters, então sempre é um desafio homérico falar sobre ela... Mas também não é pra menos, uma série que tem gerações que cresceram assistindo, um verdadeiro ícone da cultura inglesa, muuuuuuuuitos episódios que foram ao ar, é uma tarefa bem difícil também assistir ela como um todo! Como serei uma eterna iniciante nessa série, chamei a minha amiga para ajudar a descrever o que tem de tão bom nessa série. Marluana, além de ser minha irmã Super gêmea ativar rsrsrs é a pessoa que me apresentou DW (e Sherlock, mas aí é outro post pro futuro... ) e tem um amor profundo e muito o que dizer sobre a série. Então, esses pontos abaixo foram frutos de nossa discussão que viraram esse post!

Podem achar uma série de efeitos visuais bléh, mas temos que admitir que a abertura é massa e a música pega na cabeça! kkkkkk

1. O Doctar!

Como começar a falar de um ser que, numa sacada genial dos autores da série, tem o poder de se reinventar e aparecer numa série que estrou em 1963!!! Um personagem que mesmo sendo descrito e reescrito no decorrer das décadas, sempre vai ter os seus mistérios. É um ser extraterrestre (um Time lord, do planeta Gallifrey), excêntrico e bipolar, mas que tenta sempre usar ao máximo de sua diplomacia para resolver conflitos. Muitas vezes, nos episódios, ele se volta para o vilão e fala "você ainda pode ir embora" ou "vou te dar essa chance", mesmo sabendo que os caras não vão desistir (já viu vilão desistir?!). Mas isso faz parte da natureza do Doutor, sempre evitando de se utilizar de violência e resolver as coisas da forma mais pacífica o possível.
Sendo um Senhor do tempo, ele tem a habilidade de regenerar-se para evitar a morte, mas quando faz isso, muda de aparência... O que na verdade é mudar completamente de "pessoa". Apesar de manter as memórias, experiência e valores, ele muda completamente de personalidade... O que permite a gente, em cada Doutor, ter todo um processo de início de ciclo, conhecendo o personagem que ao mesmo tempo é tão antigo, mas também tão novo! Isso foi uma sacada de mestre!

Matt Smith como o 11º Doctor


2. A Tardis

A TARDIS (Time And Relative Dimension In Space, ou Tempo e Dimensão Relativa no Espaço) vai muito além de ser uma simples máquina do tempo... Não é um DeLorean da vida. Ela é "maior por dentro do que por fora" e por um defeito no circuito camaleão, ficou presa na aparência de uma cabine de polícia londrina dos anos 60.
Quando digo que ela é muito além de ser uma máquina do tempo, é porque ela tem vontade própria! Em muitos episódios ela leva o Doctor para um lugar completamente diferente do esperado, não por defeito ou qualquer coisa, mas por saber que é naquele lugar que ele precisa estar. Um exemplo: no episódio em que o Doctor (Tennant) vai levar sua companion para ver o Elvis no Ed Sullivan show, a Tardis os leva para um bairro da Inglaterra durante a coroação da princesa Elizabeth!
Apesar de não ter o status direto de personagem, acho que ela é sim um... Além do episódio onde ela realmente se transforma numa pessoa rsrsrsr




3. Os companions

 Bom, o Doutor é um ser imortal, com conhecimento do vasto universo, mas precisa de uma força para contrabalanceá-lo, torna-lo "humano"... Nessa vibe que entra a figura do companion, o elemento humano da história (na maioria das vezes humano...). É nesse personagem que o Doutor consegue ter a noção de como é ter uma vida mortal, normal... E também a brevidade da mesma, como ela pode ser frágil e precisosa. Os companions que fazem o Doutor enxergar o valor do Planeta terra e também o seu valor moral, que pode muitas vezes ser posto à prova dada a sua natureza "superior' de Time lord. Por sua vez, o Doutor faz com que os companions enxerguem seu valor e importância no espaço e tempo... É uma relação bem bacana de simbiose entre os dois personagens!
O Moffat apontou que o personagem principal da série é justamente o companion, pois a história geralmente se desenrola deles e eles sofrem mais mudanças na jornada do que o próprio Doutor. Isso mostra a solidez e importância do companion na série!

Clara Oswald, uma das mais queridinhas companions ever!


4. Os Dalecks


A raça mais vil do universo! À primeira vista, pra quem não conhece a série, a aparência dos Daleks pode parecer uma piada Sci-Fi de mau gosto... Mas calma! Vocês precisam conhecer o personagem! São os vilões mais clássicos da série, e mesmo com a aparência meio risível, são terríveis, foram os responsáveis pela destruição de Gallifrey! Os Daleks são Kaleds do planeta Skaro, mutados (foi retirado tudo deles, para restar somente maldade rsrsr) pelo cientista Davros e colocados numa armadura (que parece uma mistura de saleiro aspirador de pó kkkk) para mobilidade. Eles só tem um objetivo: EXTERMINATE (sim, escrevi isso falando com voz de robô kkkk) todos os que não forem Daleks. Depois de conhecê-los, vocês vão ver que é um vilão cativante rsrsrs.

EX-TER-MI-NA-TE


5. As participações especiais e roteiristas

Lógico que uma série de 54 anos contou com uma pancada de atores, atrizes e roteiristas que são dignos de nota! No quesito roteiristas, temos Steven Moffat (que também faz Sherlock), Neil Gaiman (de Coraline e Deuses americanos), Douglas Adams (de O guia do mochileiro das galáxias, na verdade, ele foi revisor dos episódios nos anos 70), por aí vai. De participações especiais, temos a nata dos atores e atrizes do cinema inglês: John Cleese (de Monty Phyton), Simon Pegg (de Chumbo grosso e Todo mundo quase morto), Timothy Dalton (de 007), Mark Gatiss (de Sherlock), Kylie Minogue (a cantora né kkkk), John Hurt (de Harry Potter), Sir Ian McKellen (eterno Magneto né), James Corden (apresentador), Carey Mulligan (de Sufragistas), Andrew Garfield (de Espetacular homem aranha), Bill Nighy (de Simplesmente amor), Toby Jones (de Capitão América)... Gente é muita gente mas esses já dá pra entender que é quase um fanservice para os atores ingleses que cresceram vendo Doctor Who!

Carey Mulligan dando spoiler do próximo item da lista, os Weeping angels kkkkkkk

6. Os Weeping angels

Se os Daleks são vilões super interessantes apesar da aparência, os Weeping Angels são tipo a personificação de seu pior pesadelo! Já entrou num museu ou num lugar com estátuas e ficou com a impressão estranha de estar sendo observada ou que a estátua mexeu? Os Weeping angels são criaturas predadoras que tem aparência de estátuas de pedra, anjos alados. A maneira que eles arranjam para parasitar suas vítimas é bizarra: eles se alimentam de paradoxos do tempo! Por exemplo, um Weeping Angel pode enviar uma pessoa para o passado para um ponto antes de seu próprio nascimento, e pode, então, alimentar-se da "energia potencial dos anos que essa vítima teria vivido no presente". O bizarro deles é que eles não podem se mover quando estão sendo observados, mas quando você pisca, eles podem se mexer rapidamente, por isso, NÃO PISQUE! kkkkkk

DON'T BLINK!

7. A trilha sonora

Um dos aspectos mais impressionantes de Doctor Who é as músicas! Só pra constar, a música tema da série é a primeira música eletrônica para televisão. Quando a série começou, em 1963, Ron Grainer foi chamado para compor o seu tema, e então, fez uma melodia base e para a execução e gravação da obra, passou-a para Delia Derbyshire, que trabalhando com o BBC Radiophonic Workshop, fez da composição uma peça de música eletrônica pioneira, sendo o primeira música eletrônica a ser tema de um programa de TV. Para muitos, Derbyshire é a Mãe da Música Eletrônica.
Desde a volta de Doctor Who em 2005, Murray Gold é responsável pela trilha sonora da série, que conta com a colaboração de Ben Foster, que conduz a BBC National Orchestra of Wales.
Em 2008, 2010 e 2013 ocorreram a Doctor Who Proms, um evento realizado no Royal Albert Hall com a BBC Philharmonic e a London Philharmonic Choir sendo conduzido por Ben Foster apresentava as músicas de Murray Gold compôs para as temporadas atuais. Entre as músicas compostas a partir de 2005, as que mais se destacam são: "Doomsday" (2006), "All the Strange, Strange Creatures" (2007), "This Is Gallifrey: Our Childhood, Our Home" (2007), "Vale Decem" (2009), "The Mad Man with a Box" (2010), "I Am the Doctor" (2010), "The Long Song" (2013), "To Save the Doctor" (2013) e "This Time There's Three Of Us (The Majestic Tale)" (2013).

Pra curtir: Mix de trilha para o 50º aniversário 

8. Personagens especiais

Além dos atores e atrizes que fizeram participações especiais, também personagens históricos e fictícios também deram o ar da graça. Entre eles estão: Rainha Elizabeth I, Agatha Christie, Robin Hood, Charles Dickens, Madame de Pompadour, Shakespeare, Winston Churchill, Richard Nixon, Van Gogh (que é um episódio massa!!!), Adolf Hitler, Nefertiti, Papai Noel, Rainha Vitória, Napoleão, Robespierre, Ricardo Coração de Leão, Marco Polo, Albert Einstein... É muita gente!

Esse episódio, Vincent and the Doctor e The Pandorica Opens, é um dos melhores da série, assistam que vale a pena!!!

9. Os materiais além da série

Uma série com tamanha dimensão é óbvio que produziu uma imensa quantidade de materiais como Universo expandido. Tem uma série de Áudio dramas em que alguns dos Doctors da fase clássica reprisando seus papéis em novas aventuras.
Também surgiram séries Spin-offs, como Torchwood (anagrama de Doctor Who), que investiga crimes e atividades alienígenas. Também, em 2007, surgiu The Sara Jane Adventures, onde Elizabeth Sladen reprisou seu papel de Sara Jane Smith, antiga acompanhante dos terceiro e quarto Doctors. Além disto, foram publicados livros do Doctor Who desde a década de 60. Os livros publicados eram adaptações de arcos exibidos na TV. No início de 1991 foi lançado uma extensa séries de livros Virgin New Adventures e Virgin Missing Adventures. Desde o relançamento do programa, em 2005, novos livros foram publicados pela BBC Books.
Para quem interessar, os livros publicados no Brasil: Shada - A Aventura Perdida de Douglas Adams (2014), Quando Cair o Verão e Outras Histórias (2014), Doctor Who: 12 Doutores, 12 Histórias (2014), Mortalha da Lamentação (2015), Prisioneiro dos Daleks (2015) e Cidade da Morte (2015)

Para quem curte livros nessa vibe de inspiração em programas de Tv, fica a dica rsrsrs


10. O diálogo com o espectador

Para encerrar, um dos fatores que transformam essa série em algo tão singular. Apesar de ter sido criada para ser uma série infantil, Doctor Who não se conteu com o tempo e se desenvolveu, tornando-se mais profunda e atingindo todas as faixas etárias, o que além de transformar numa série "para toda a família", não deixou ela datada, permitindo seus fãs irem crescendo sem abandoná-la. A série passou a abordar sobre como superar seus medos, o luto... Doctor Who te transforma no seu companion, também te mostrando o seu papel no universo, sua importância!



Então meus amores, deixo vocês com esse post recomendando a dar uma chance a esta série tão icônica e... Até a próxima!


  • Share:

Você pode gostar de:

41 comentários

  1. Adorei a imagem da abertura muita boa, já me deu até vontade de assistir, essa série já vai estar na minha agenda. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Confesso que de todos os fatos que você citou no post, a trilha sonora foi o que mais me interessou, amo trilhas sonoras e de Doctor Who é muito boa, amei. Já assisti alguns eps da série mas nunca pensei em acompanha-la, vou dar uma chance. Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcela
      Realmente é um pouco complicado pegar um bonde andando, ainda mais um que está andando há 54 anos kkkkkkkkk, mas acho que vale a pena dar a chance de começar rsrsr

      bjs e valeu pela visita <3

      Excluir
  3. Olá Ina, engraçado eu sempre vejo as pessoas falando dessa série, mas nunca parei pra ler algo a respeito e nem imaginava que era tão antiga! Eu curti demais, só pelo motivo 1, pra quem gosta daquela pegada do passado como nós, séries assim sempre atrai. Mais uma indicação sua que vai pra minha lista de coisas para ver :D

    bjus

    Ari ♥
    De volta ao retrô

    ResponderExcluir
  4. Já ouvi falar, mas acabei nunca assistindo... Você disse no inicio que tem muitos episódios, quantos mais ou menos? É difícil pegar desde o primeiro e ir acompanhando?
    Eu me interessei muuuuito em assistir com a sua "resenha", sério.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, não sei ao certo quantos episódios tem, pois... Por ter 54 anos de série, tem alguns que até estão perdidos... Mas Se quer seguir ordem cronológica, comece à partir da temporada de 2005
      Fico feliz que tenha te animado a assistir! rsrsrs

      bjs

      Inajara

      Excluir
  5. Amei a resenha. Super completa. Tenho paixão por essa série e o Matt Smith é o meu Doc favorito. Excêntrico e bipolar é uma ótima descrição do personagem. Parabéns pelo post, ficou muito bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Fico mais feliz em ouvir isso de uma whovian! <3

      Excluir
  6. Amo Doctor Who minha série favorita da vida, ainda não terminei de assistir tudo e vi que tá saindo novos episódios <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Acho que assistir tudo sempre vai ser uma missão quase impossível, mas preciso ver... Tô super atrasada! kkkk

      Excluir
  7. Olá! Nossa... Acredita que não conhecia essa série? chocada! Mesmo sendo uma série antiga e até conhecida, Seu post me deixou realmente afim de assistir, com certeza que já tá na minha listinha para conferir no final de semana e da uma chance para a série.
    Abraços e Sucesso!
    www.pandapixels.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Não se assuste em não conhecer, eu também fui conhecer só uns anos atrás através de uma amiga... Mesmo sendo louca por cultura pop britânica rsrsrsrs... Assista mesmo! <3

      Excluir
  8. Já tinha lido por alto sobre a série, mas agora deu pra entender melhor com essa seu "resumão". Gostei muito e me interessei super pela série, tem um estilo que curto muito.

    Beijos
    Bluelline

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei, nunca tinha ouvido fala sobre a série, mas pela publicação já me animou muito, só do cara se regenerar já acho mt foda haha, valeu pela indicação.. parabéns

      Excluir
  9. bom sou apaixonada por series mas não conhecia essa e fiquei completamente curiosa pra assistir e sempre um martilho escolher uma serie pra ver porque detesto series com poucas temporadas por que acabou assistindo em um fim de semana e essa me parece intrigante e ao mesmo tempo meio que familiar haha entao com certeza vou assistir !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, se vc gosta de séries longas essa é a ideal, tá aí desde 63 kkkk (lógico que não continuamente...)... Mas veja sim, é um programa super família rsrsrsrs

      Excluir
  10. Sempre quis assistir Doctor Who, ta na minha lista a muito tempo. Mas com tantas temporadas não sei por qual começar, haha. Valeu a indicação!

    http://oestranhomundo-de-ioio.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Olha, eu quando comecei, optei por assistir a partir da temporada de 2005... Mas já me disseram que é bom começar por alguns episódios que são realmente bons, tipo "Blink", pra pegar gás pra começar todo o resto kkkkk

      Excluir
  11. Oii. Já tinha visto falar, mas agora com esse post me deu muita vontade de olhar, fiquei muito curiosa, valeu pelo post de indicação, muito sucesso para você, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Caroline
      Fico feliz em despertar o interesse pela série em ti, ela realmente vale a pena
      bjs e valeu pela visita <3

      Excluir
  12. Não conheço essa série, mas já ouvi falar alguma coisinha sobre. Adorei seu post, parece ser boa mesmo :) Continue trazendo séries pra gente conhecer, beijos.

    www.gotadechampagne.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eduarda;

      Pode deixar que não vão faltar séries pra trazer aqui! rsrsrsrs
      bjs e valeu pela visita <3

      Excluir
  13. Eu amo Doctor Who desde....sei lá desde quando rsrs acho que curto desde sempre ou desde que consigo me lembrar rsrs tinha uns desenhos em preto e branco dele que eu assistia e achava o máximo rsrs espero que TV descubra mais personagens desses para trazer ao mundo da audiencia em massa :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Deus te ouça! Acho que está faltando séries desse tipo, que tenha conteúdo prezado ao invés de um monte de efeitos especiais...
      bjs e valeu pela visita <3

      Excluir
  14. Não vou mentir não eu bem que já tentei ver essa série e apesar de ser apaixonada por fantasia e ficção cientifica ela não me chamou muito a atenção, não me deu aquela vontade de continuar a assistir sem parar sabe, o que é uma pena pois só leio bons comentários em relação a ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Olha, não vou te recriminar jamais por isso porque passei pelo mesmo kkkkkkkk... Acho que é uma série tão grande que tem muitos episódios bem bleh pra ter alguns que fazem você dizer "ainda bem que aguentei o resto pra chegar aqui" kkkkkkkkkkkk... Assista o episódio "blink", acho que é um dos melhores rsrsrs
      bjs e valeu pela visita <3

      Excluir
  15. Eu não sou de assistir series, não gosto muito mas eu fiquei curioso em assistir essa daí do seu post♥ Adorei muito o post e amei seu blog! Sucessos!♥

    ResponderExcluir
  16. Caracas, que super resenha :D Já ouvi falar muito da série, mas não gosto muito de ficção cientifica, então não sei se vou gostar. Em relação a ter muitos episódios eu já estou acostumada, assisti grey's anatomy desde o começo, mais longa que essa impossível, haha!

    Parabéns pelo blog!
    http://4girlsstore.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Grey's Anatomy tem uns 10 anos se não me engano... Doctor Who tem 54... Acho que nem dá pra comparar o número de episódios de cada kkkkkkkkkkkkkkkkk
      Acho que não tem séries americanas tão longas assim... :/

      Excluir
  17. Nunca ouvi falar dessa série, mas confesso que fiquei bem curiosa pra assistir.

    ResponderExcluir
  18. Assisto Doctor Who desde pequenina, acho que ele também me inspirou a seguir o caminho científico hahaha. Post fantástico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Pow, fico feliz em receber o elogio de uma whovian <3

      bjs e valeu oela visita :)

      Excluir
  19. Eu adorei seu resumão, já ouvi muito falar e sempre positivamente. Porem nunca fiquei tão interessado, mais ao ler esses pontos separadamente me deixou realmente encantado com tudo e da forma clara que explicou. Acho que vou começar a pesquisar e me permitir a ver!

    AMEEI, parabéns, ótimo conteúdo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Fico feliz que tenha curtido o post, na real! Ainda mais feliz em saber que despertei a curiosidade de ver a série, porque ela vale a pena rsrsrs
      bjs e valeu pela visita :)

      Excluir
  20. Não conhecia a série mas achei muito interessante, gostei muito das imagens, gosto muito de séries de ficção científica, a sua resenha sobre a série me deixou bastante curiosa em assistir, gostei muito de conhecer a série Doctor Who, bjs.

    ResponderExcluir
  21. Adorei a resenha e me despertou o interesse em assistir. Parabéns e até a próxima!

    ResponderExcluir
  22. O! Adoro demais! Sempre que tenho tempo tento me atualizar nos episódios.São tantos!! Ótimo post! Bjoo

    ResponderExcluir
  23. Já ouvi falar super bem, mas ainda não assisti. Depois desse post maravilhoso o mínimo que devo fazer é dar uma chance! Hahaha beijos e boa sorte!

    ResponderExcluir
  24. Meeeeeu
    Tudo que eu leio dessa série é bom! Não imaginava que tinham muitos haters rsrs
    Eu amo séries londrinas mas nunca vi essa por preguiça! Como vc mesmo disse ela é bem extensa ! Você já viu "tudo"?!

    ResponderExcluir
  25. Não me julguem, mas confesso que nunca assisti Doctor Who. Muitos dos meus amigos acompanham, mas o projeto de vida agora é assistir a todos os episódio. Acho que vou penar HAHAHAHA
    Refração Cultural

    ResponderExcluir
  26. demoro galera,é uma serie pra bombar,doidinha pra assistir sou seriemaniaca e amo efeitos

    ResponderExcluir