03/02 - O dia em que a música morreu

sexta-feira, fevereiro 03, 2017

Hello sweeties! Hoje quero falar sobre um fato que é celebrado neste dia, 03 de fevereiro, que marcou para sempre a história da música americana e que está também no imaginário mundial, pois as vítimas tinham fama internacional. Bom, me refiro ao Dia em que a música morreu, ou seja, o dia do acidente de um avião de pequeno porte, em 03/02/1959, próximo a Clear Lake, Iowa, matando três dos maiores expoentes da música do período: Buddy Holly, Richie Valens e J. P "Big Bopper" Richardson.


Pra vocês terem uma ideia da dimensão do ocorrido, seria (forçando meio a barra) como se, hoje em dia, caísse o avião carregando Beyoncé, Lady Gaga e Madonna... Não que sejam equivalentes musicais, mas digo em termos de repercussão.
Talvez vocês não conheçam um dos três, ou nenhum deles, e é por isso que vou falar um pouquinho sobre quem eles eram antes de falar do fatal acidente que silenciou três expoentes e pioneiros do rock.

Buddy Holly 

Nascido Charles Hardin Holley (1936-1959), Buddy foi um dos mais influentes cantores de seu tempo. Para você ter uma ideia, sem ele e sua banda, os The Crickets, talvez não conheceríamos Os Beatles, The Rolling Stones, Eric Clapton, Bob Dylan, entre outros. De acordo com Paul McCartney, o nome The Beatles surgiu em homenagem aos The Crickets, depois da turnê da banda de Buddy na Inglaterra. Outro que esteve presente no show da banda foi Mick Jagger, que desde o início de sua banda incluiu sucessos de Buddy Holly no repertório, principalmente Not fade away. Bom, Holly nasceu em Lubbock, Texas, em uma família de músicos, o que fez aprender com facilidade violino, piano e guitarra. Começou a trilhar seus caminhos como cantor country mas, após fazer a abertura de Bill Halley and The Comets, formou a sua própria banda, os The Crickets, onde passou a desenvolver um estilo de música mais sofisticada para seus dias, com instrumentos que mais tarde seriam a base para as bandas de rock (guitarra + baixo + bateria). Com o seu amplo conhecimento de teoria musical, Holly se destacava dos contemporâneos, fazendo músicas estilo chiclete mas com arranjos, letras e harmonia mais complexas. Seu estilo não serviu só como base para o rock americano, mas para o rock britânico e também a New wave.



Richie Valens 

Ricardo Esteban Valenzuela Reyes (1941-1959), mais conhecido como Ritchie Valens, foi um dos expoentes do rock e um dos maiores sucessos de origem latina do período, sendo ele descendente de mexicanos. Infelizmente morreu quando ainda estava despontando no cenário do rock, tendo gravado somente dois discos, com uma base musical misturada entre pop, jazz e musica folclórica mexicana.
Vindo de uma família conturbada, com mãe sozinha e o irmão, Ritchie começou a tentar sua vida na música aos 15 anos, quando comprou sua primeira guitarra. Depois de fracassos como sua banda The Satellites, Valens chegou ao sucesso ao participar do filme Go Johnny Go, e também lançando os dois hits que até hoje são bem famosos: Donna, dedicado a uma paixão de escola e La Bamba, que é a versão de uma tradicional musica mexicana.



Big Bopper

Jiles Perry Richardson Jr. (1930-1959), mais conhecido como The Big Bopper, era cantor, compositor e Disk Jockey, cujo o estilo e voz o fizeram logo se tornar uma estrela do rock. Nascido em Sabine Pass, Texas, Jiles só adotou o nome pelo qual ficou conhecido, Big Bopper, após ganhar a chance de ter um horário na rádio local onde trabalhava. Richardson pegou o nome da dança que estava popular entre os jovens na época, The bop. Sua carreira musical começou como compositor, com várias de suas letras sendo interpretadas por outros cantores, como George Jones e Johnny Preston. Seu sucesso como cantor veio com Chantilly Lace, música que o lançou ao estrelato onde ele finge ter uma conversa de telefone com sua namorada. Com o sucesso desse hit, Big Bopper se juntou a uma turmê intitulada Winter Dance Party, junto a Buddy Holly, Richie Valens e Dion and the Belmonts.


Bom, a turnê de The winter Dance Party tinha como objetivo cobrir 24 cidades do centro oeste americano em 3 semanas. Um dos problemas logísticos era o tempo gasto durante as viagens, pois a distância entre os locais dos concertos não foi considerado quando cada um deles foi agendado. Outro era o ônibus usado para transportar os músicos, não preparado para enfrentar o inverno. Seu sistema de aquecimento quebrou pouco depois do início da turnê, e como consequência o baterista de Holly, Carl Bunch, desenvolveu um caso grave de congelamento nos pés, tendo de ser internado em um hospital. Enquanto ele se recuperava, Buddy Holly e Ritchie Valens revezavam-se na bateria.
Em Clear Lake, Iowa, Buddy Holly estava revoltado com os problemas que o ônibus trazia e resolveu contratar um avião para a próxima parada. Ele conseguiu então combinar um voo com Roger Peterson, um piloto de 21 anos que trabalhava para a Dwyer Flying Service na cidade vizinha de Mason City. Acertaram uma taxa de 36 dólares por passageiro para que Peterson levasse Holly e mais dois acompanhantes até Fargo. Uma das vagas foi oferecida a Dion DiMucci, vocalista do grupo Dion and the Belmonts, mas ele decidiu que não gastaria os 36 dólares da passagem pois seria uma extravagância. Os dois assentos ficariam então com Waylon Jennings e Tommy Allsup, músicos que acompanhavam Holly em sua recém-iniciada carreira solo.
Big Bopper, que contraíra gripe durante a turnê, pediu a Jennings que cedesse seu lugar no avião. Jennings concordou, e quando Holly ficou sabendo do trato, brincou: "Bom, espero que esse seu ônibus velho congele". Jennings, também em tom de brincadeira, respondeu: "E eu espero que seu avião velho caia". Este diálogo perseguiria Jennings pelo resto de sua vida.
Ritchie Valens, que nunca viajara de avião antes, pediu pelo lugar de Tommy Allsup, que respondeu que isso seria decidido em um jogo de cara ou coroa. Bob Hale, radialista da KRIB-AM, estava trabalhando no concerto como DJ naquela noite, e jogou a moeda pouco antes dos músicos partirem para o aeroporto. Valens venceu, ganhando o assento na aeronave.
Bom, o avião com os cantores caiu a 8 Km do aeroporto, devido ao mal tempo e por erro humano, já que o piloto, Peterson, ainda mão sabia voar somente sob orientação dos instrumentos, sem contar que o piloto não havia recebido os alertas da condições climáticas do momento.

Bom, esse acidente mexeu para sempre com o destino da música como conhecemos, pois os três eram, além de jovens estrelas, artistas com um futuro brilhante e, infelizmente, nunca saberemos como poderia ter sido o destino da musica com as contribuições deles.

Pra encerrar fiz, uma playlist com sucessos dos 3 para vocês curtirem! Espero que tenham curtido e até a próxima!

  • Share:

Você pode gostar de:

5 comentários

  1. Pena que as estrelas tenha que partir tão cedo, muito interessante o seu post falando dessas estrelas da música, gostei muito da playlist músicas sensacionais, bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena mesmo, e ainda com toda uma vida pela frente, muito triste. Fico feliz que tenha curtido a Playlist!!! :)

      Excluir
  2. Sério, inacreditável. Gosto bastante do trabalho do Buddy Holly e nunca tinha me ligado em quais circunstâncias ele faleceu. Não sabia desse acidente, fiquei chocada :O Abraço :)

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  3. Oi! Conheci Richie Valens com a música e o filme La bamba. Imagine a dimensão na época. Muito triste pra um de garoto que acabava de descobrir o sucesso e claro não só ele, mas os outros dois também.

    ResponderExcluir
  4. Nossa muito incrível esse post, super interessante, adorei conhecer mais sobre eles! <3
    Bisous,
    Blog Pequeno Muffin | Lara Reis
    www.pequenomuffin.com.br

    ResponderExcluir