Guia de sobrevivência no universo Vintage

sexta-feira, janeiro 20, 2017


Hello sweeties! Bom, desde que me aventurei por entre os grupos, blogs, fanpages e afins do universo vintage/retrô, estou conhecendo o mais infinito tipo de pessoas. É um grupo extremamente heterogêneo, colorido, divertido e sedutor. Várias pessoas que se estendem pelas mais variadas áreas do conhecimento das épocas de ouro que te dá vertigem, principalmente a nível mundial. Você pode falar de moda, cinema, história, culinária, carros... Tudo! Infelizmente, é um mundo ainda bem "virtual" e, por se localizar nas redes sociais, a maioria de seus membros estão pulverizados por este nosso imenso Brasil. Mas... Isso não quer dizer que não haja problemas como em um grupo no qual todos tem contato diário fora dos limites da internet.
Parece que as pessoas esqueceram aquelas regrinhas de educação que nossas mães, com tanto zelo, passaram anos tentando nos ensinar. Respeito ao próximo e cortesia se perdendo tanto no mundo "físico" quanto no mundo virtual. Conheci pessoas que são uns amores, e que se Deus quiser, conhecerei pessoalmente. Outras já considero como irmãs, minhas vintage sisters. Já outras... Precisariam voltar as aulas de bons modos da mamãe... Escrevi isso me referindo ao universo vintage, mas isso serve de regra geral, só estou usando o mundo no qual estou mais "inserida" para dar como exemplo.
Seguem algumas "regrinhas" que acho básicas pra sobrevivência


Parece clichê, mas o respeito ao próximo por muitas vezes falta!  Respeite o próximo. Ele pode não gostar das mesmas coisas que você, pode não ter as mesmas ideias de mundo, religião, ideologias e tudo mais... Mas isso não o faz um quadrado ou pior que você! Já perdi seguidores na página, blog, e até "amigos" no perfil pessoal por conta disso, e acho de uma infantilidade sem fim. Eu nunca vou concordar com tudo que os outros falam, tenho opinião própria e isso me torna um indivíduo... Mas temos que ser maduros para respeitar aqueles que estão ao nosso lado.


Já falei sobre isso no meu post sobre a minha decepção com o universo vintage... Sempre vai ter um ou uma que vai se achar rei ou rainha do vintage! E os motivos são sempre os mais variados e absurdos possíveis: sabe fazer melhores penteados, tem mais itens de marcas famosas do ramo, já é membro de alguma "panelinha" do meio. Gente, sério, é muita baboseira! Não existe nenhum juiz ou qualquer coisa parecida para avaliar quem é mais ou menos vintage. Eu mesma tenho mais a cabeça e coração vintage do que o visual... Afinal, como historiadora, minha cabeça vive no passado né rsrs


Infelizmente uma coisa que atinge muito esse meio (e o nerd também) é um certo desprezo a quem não tem condições econômicas para manter "o que se exige" para ser vintage. Outra besteira, até mesmo porque ás vezes o problema nem é o dinheiro, e sim a região onde a pessoa reside. Eu mesma, morando no ES, não tenho acesso a tantas lojas especializadas na temática como alguém que mora em SP ou RJ. Sem contar que nosso país vive numa crise tamanha que, creio eu, nem os que tinham condições de ficar importando itens da Vintage Clothing estão esbanjando como outrora. Então meu amigo, respeite as condições dos outros, porque não é quanto a gente tem no bolso que nos define e... O mundo dá voltas...


Bom, essas são umas regrinhas básicas para convívio em qualquer lugar, gostaria de vê-las mais em prática também... E que em breve possa conhecer todos e todas as amizades que venho fazendo dentro deste lindíssimo mundo. Espero que tenham curtido o post e até a próxima!

  • Share:

Você pode gostar de:

3 comentários

  1. Este seria seria um guia de sobrevivência universal. Beijinho

    ResponderExcluir
  2. 👏👏👏👏👏Faço minhas as suas palavras. Sou daquelas que amoooo o vintage/retro e além não viver montada o tempo todo, conheço mto pouco ou quase nada das tais "celebridades". Na minha opinião, alguns parecem parecem estar vivendo uma competição, e isso é muito, muito chato mesmo, por isso as vezes o anonimato (falo por mim) é a melhor coisa, nos poupa de stress desnecessário rsrs. Bjs
    http://soulsoretro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente, aqui em Portugal, o mundo vintage/retrô é muito fechado.
    Tem os donos de estabelecimentos famosos dedicados ao tema, as pinups famosas, dançarinas de burlesco famosas, etc... e tem o resto. Eu sou cantora retrô e mesmo assim faço parte do resto. Ajuda? Nem pensar. Outro dia mesmo estava a converar sobre isso com uma colega, que tem uma agência de pinups da qual eu faço parte. Poucas pessoas apoiam outras no mundo vintage português.
    Felizmente, temos o carinho e simpatia da banda retrô mais famosa do país, os Lucky Duckies, e de algumas pin ups e fotógrafos vintage mais ativos. Mas a maioria nem dá a cara para nós.
    Sem contar que não me identifico com a esmagadora maioria das pinups portuguesas, pois não sou fã de rock pesado nem metal, não tenho qualquer predileção pelo burlesco nem por poses de lingerie, não sou fanática por tatuagens e nem me considero feminista. A maioria delas enquadra-se nesses tópicos todos. Sinto-me muito sozinha no mundo vintage e retrô português. :(
    Bjs

    ResponderExcluir