Desabafo: minha decepção com o Universo vintage

quarta-feira, agosto 31, 2016

Hello sweeties!Vocês devem ter assustado com o título da postagem de hoje, afinal, como que alguém que usa o "Vintage" no nome quer falar que não gosta mais do vintage?
Calma, eu ainda amo o que é ser vintage, e algo que creio que vai além do "movimento", faz parte de mim mesmo antes de começar a usar o título... O que hoje quero falar é sobre o meu desapontamento com o "fandom" do meio.

Sabe, acho que todo mundo nessa vida procura um lugar ou grupo no qual possa ter um sentimento de pertencimento. Não tô falando de querer ser aceito em um meio por insegurança, mas sim achar um lugar no qual você encontre pessoas, assuntos e coisas nos quais você se identifique e se sinta parte do meio.
Minha história com o universo vintage e retrô começou meio que por acidente, e a história se confunde até mesmo com a história do blog. Em 2012, ainda estudante de história, estava procurando artigos na internet para fazer um trabalho sobre aquele cartaz famoso "Rosie the riveter", ícone hoje em dia do feminismo, mas também um símbolo do trabalho feminino durante a Segunda Guerra
Mundial. Nessa busca, achei um blog muito meu amor chamado "Nos tempos da minha avó", que abordava sobre o assunto, mas também tinha coisas sobre pin ups, sobre cinema antigo (que sempre amei)... Abrindo um universo de novas identificações pra mim. Como o blog tinha aquela velha barra de blogs indicados, foi um pulo para começar a seguir e ler outros blogs. Fiquei admirada como podiam existir tantas pessoas interessadas por assuntos do passado fora do meio acadêmico, criando em cima disso um estilo de vida novo, misturando elementos e sentimentos do passado com coisas atuais. Eu pensei "esse é o meu lugar", eu amo essas décadas que elas amam, adoro os costumes, filmes, roupas... Eu pertenço a esse grupo! Além disso, a minha "entrada" foi acompanhada por belas novas amizades, o que me fazia pensar cada vez que estava até então distante de onde deveria estar.
Mas, é claro que não demorou pra eu começar a ver as cores reais, afinal, a gente sabe que qualquer coisa, seja um filme como Star Wars ou uma banda de rock famosa, tem fãs e fãs. Quando resolvi ser blogueira, não porque quisesse aparecer ou qualquer coisa (afinal, até hoje nunca fiz um ensaio fotográfico retrô como muitas das minhas colegas blogueiras do meio), mas porque achei que, como historiadora, poderia ter algo a contribuir, fazendo o uso mesmo que lúdico da minha profissão para apresentar histórias e curiosidades da primeira metade do século XX. Não vou me prolongar sobre meus primeiros problemas porque já falei disso diversas vezes kkkk... Resumindo, de primeira os meus problemas eram mais com algumas pessoas que não gostavam da ideia de ter mais um blog "concorrente" ou então queriam rotular meu blog, que de primeira tinha uma estética bem inspirada nos filmes mudos, logo, deveria somente falar sobre anos 20.
Essas coisas eu relevei, mas a minha verdadeira decepção está sendo agora, com o acúmulo de coisas que vejo sendo cometidas no meio por pessoas que se acham donas do universo e juízas de quem deve ou não pertencer. Bem ao estilo "Meninas malvadas de ser"


Primeiro, tenho que dizer: existe SIM um grande preconceito dentro do universo vintage e retrô, pelo menos no Brasil. Infelizmente, o meio ainda é muito elitista, pois itens "originais" (esse termo pode ser até antagônico, porque original seria da época mesmo, mas me refiro a ser "de marca"), são em sua maioria importados e MUITO caros. Para você usar roupas "aceitáveis", como Pin up clothing, Sourpuss e até algumas marcas nacionais (não vou citar nenhuma porque não quero ser processada kkkk), você vai ter que desembolsar uma bela quantia. Para ter uma ideia, um vestido básico da sourpuss está custando em torno de R$350,00!!! Um da Pin up Clothing sai mais em conta, está em torno de R$260,00. Você deve estar achando caro isso... Então vamos a marcas "famosas" nacionais... Um vestido BR estilo pin up numa loja famosa do segmento está saindo por R$220,00.

Não há carteira que aguente!

Infelizmente, por mais que digam o oposto, se você não tem pelo menos uma peça dessas marcas no guarda roupa, já começa a perder pontos...
Outro problema é como você "incorpora" o conceito vintage no seu guarda roupa. Infelizmente é um lugar onde a maioria ainda se guia muito pela aparência, então, se você não posta muitas fotos montadas no estilo, acaba também por ficar meio que no ostracismo. Eu gostaria muito de andar vestida o tempo todo inspirada em looks do passado, mas, além de não sair muito de casa, eu também cometo um "crime" gravíssimo: não gosto de pin ups! Para essa afirmação cabe uma explicação: eu gosto das pin ups e tenho amigas até que são miss pin up... Eu não gosto de me vestir como pin up. Minha vibe são atrizes de filmes mudos, anos 20, flappers... Se eu pudesse COM CERTEZA me vestiria como a Clara Bow, Jean Harlow, Theda Bara, todo santo dia! Sem contar que estou desempregada, então não tenho meios financeiros de montar um guarda roupa temático.. Sem contar que eu sou uma verdadeira bagunça de gostos e interesses, não consigo me restringir a gostar única e somente de coisas do passado. Sou uma nerd, uma geek que é apaixonada pelo passado, esse seria o melhor resumo... Logo veio a mudança de nome do blog né, Vintage & Geek <3

Se diz vintage, mas tem blog... Na internet, muito do passado isso né...

Pra terminar, o que tem me deixado mais nervosa: usar o universo vintage para militância! Sério?! Pelo amor! Eu sei que existem figuras proeminentes do passado que a gente deve sim se inspirar e falar da importância delas, principalmente para nós mulheres, mas... Daí vir a desmerecer quem é ou não é feminista é de uma hipocrisia e estupidez sem limites. Vi surgir no último ano também no meio grupos e blogs que buscam o resgate também dos valores do passado, no caso, uma volta às ideias de conservadorismo e "modelo" de mulheres do passado, principalmente aquele modelo "boa esposa" dos anos 50. Entendo que tem uma pancada de gente que não concorde com elas... Mas daí a atacar elas é hipocrisia... Porque, nós como blogueiras e entusiastas do passado, não podemos fechar os olhos para em quem nós nos espelhamos no passado, senão o que estamos fazendo é simplesmente um cosplay de pin up, mod, flapper... Seja lá o que for. Muitos grupos de mulheres do passado nos despertam admiração porque eram mulheres além do seu tempo, tinham autonomia e até empoderamento. Mas, a grande maioria, eram mulheres que amavam ser donas de casa ou até abandonaram sua militância ou profissão para ter um casamento feliz. A perseguição dessas blogueiras ou pessoas do meio que tem voz me deixou extremamente desanimada, pois mostrou que infelizmente a "democracia" pregada, de que qualquer uma poderia pertencer ao segmento, era só um conto de fadas que atraiu muita gente, incluindo eu.

Não deixe que os haters te impeçam de fazer suas coisas!


Bom, peço desculpas por ter falado tanto mas... Isso estava realmente entalado na garganta faz tempo e espero que o universo vintage e retrô atinga aquilo que ele sempre se propôs: ser um espaço para todos, independente do estilo, corpo, poder aquisitivo e também ideologia. Não vou largar meu título de vintage, mesmo que me considerem ou não digna do nome...

Aqui ó pra quem quer me regular, hum!


Bom, desculpinhas e... Até a próxima com temas mais agradáveis rsrs

  • Share:

Você pode gostar de:

7 comentários

  1. Posso te amar para sempre? Não sei se é pq já estou coroa (32), mas não tenho paciência para essa rivalidade de patotas. Sempre admirei a cultura vintage, mas minha vida não comporta(va) mudanças radicais. Hoje, penso em aderir cada vez mais ao estilo, mas me sinto insegura sem ter com quem contar. Sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha eu tenho 28 e também já tô de saco cheio, mas não tem como... Amo o vintage e simplesmente liguei o TO NEM AÍ pra essas gurias que acham que podem ficar cagando regra... Mas como em qualquer segmento, o que ferra é o fandom né kkkk
      Mas não tenha medo de adotar o vintage ao seu jeito... É pra isso que eu e outras rebeldes estamos aí, pra dizer que qualquer um pode ser vintage... Ou o que quiser!
      bjos!

      Excluir
  2. Que post interessante. Eu curto várias coisas vintage, mas não sou do meio, digamos assim. Essa coisa de usar do meio pra fazer militância é muito sério. Até porque a mulher pode ser o que ela quiser e mesmo que ela se inspire nas donas de casa dos anos 50 e queira ser como elas, se for uma escolha da própria pessoa, tem de ser respeitada e ponto. Que raio de movimentos são esses que querem destruir uma ideia pra colocar outra ideia no centro? Estão fazendo a mesma coisa. Isso me entristece. Sou feminista, sim, mas luto pelo direito de as pessoas escolherem como querem controlar suas vidas e respeito o fato de elas não compartilharem o mesmo ideal que eu. Enfim, muito complicado.

    Acho o post válido e muito pertinente =D
    Parabéns!

    Lady Salieri
    www.visaoperiferica.com

    ResponderExcluir
  3. P Amiga sei bem oque você esta falando, tem pessoas e pessoas né infelizmente tem as pessoas que adoram falar besteiras e quer impor algo que não tem nada a ver, todas nos temos direito de fazer oque quiser ser oque quiser, e não vejo problema algum uma garota querer ser dona de casa, ou fazer suas proprias peças. Mas enfim sempre haverá uns Zé querendo ditar regras.

    Beijos e não fica chateada não viva sua verdade e compartilhe suas ideias e conhecimento com todos nos.

    cherrycriis.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Gente, esse post tá ó, nota 11! Eu tô aos trancos e barrancos tentando manter visual vintage, também to desempregada, tudo é caro e muitas vezes tenho que apelar pros acessórios pra ficar com mais cara de pin up. É caríssimo manter esse estilo e lifestyle. Por isso quero muito aprender a costurar e fazer minhas próprias peças. Todas as peças originalmente vintage que eu tenho foram presente da minha avó, que vestia as mesmas numerações que eu nos anos 50 e 60. Qualquer coisa dentro do meio vintage no Brasil é um puxa-tapete infernal, principalmente no burlesque porque tem quem quase mata a coleguinha pra ter o palco só pra si. Triste :(

    ResponderExcluir
  5. Li o post inteirinho. E eis o motivo que estou como sempre gostei de estar sozinha, buscando tempo para desenvolver material para o blog e fan page.
    Me decepcionei muito nesse meio. E sou estranha hahhahah melhor sozinha viu! Tem de tudo hoje flor. #Oremos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marta, você pode sair do meio vintage, mas o vintage nunca irá sair de você! É a pin up que mais respeito!!! <3

      Excluir