Diário de uma grampeada - parte I

quinta-feira, setembro 10, 2015

Hello sweeties! Faz tempo que não tenho postado, com toda essa coisa de feriadão e sorteios bombando... Que este post acabou vindo mais atrasado do que pretendia. Bom, enfim vou contar pra vocês como tem sido, nesses últimos nove meses, todo o processo de reinvenção de minha pessoa... Com a cirurgia bariátrica (e vesícula de brinde rs)!

Para que não sabia... Sim sou oficialmente uma grampeada rsrsrs


Mas vamos ao começo, certo? Do tipo, porque uma decisão tão radical na vida? Bom... Aí a coisa volta lá no início do ano... Quando fui, por estar à toa (leia-se desempregada), fazer exames de rotina e a minha médica, vendo minha situação, me aconselhou que procurasse o médico especialista nessa área e conversasse. Afinal, o problema não é ser gorda... Isso fui quase minha vida toda, mas era uma gordinha saudável, com todas as taxas sempre perfeitas. Mas, infelizmente, essa já não era mais a minha realidade. Estava a caminho, por ter ligado o meu "Fuck it all" pra tudo e todos, da obesidade mórbida, acompanhada por desequilíbrios em quase todas as minhas taxas, principalmente a de colesterol. Aí bati o limite né.

Gordinha feliz... Com gordices felizes...
Mas sem saúde!

Primeira fase: Pré operatório

Quando você toma a decisão de se submeter a uma cirurgia, você nunca tem noção de quantos exames eles irão fazer com que você tenha que marcar presença. No caso do meu médico, que é a personificação da palavra "meticulosidade", passei de Janeiro a Abril somente fazendo exames (é claro que esse tempo seria menor se os planos de saúde hoje em dia não fossem uma m...). Exames de sangue infinitos, endoscopia, raios X, laudos de quase todas as especialidades... Meus braços pareciam os de um viciado de tantos furos (veias finas são um problema) e meus pais ficando loucos, junto comigo, com a fatura do plano de saúde. É muito importante, caso você esteja interessado em fazer essa cirurgia, que nessa fase você já comece a ir a um psicólogo, pois a ajuda de um profissional nessa área é mais do que fundamental para o preparo físico E MENTAL para o que vem depois...

A maioria das pessoas com sobrepeso comem além da conta como uma "válvula de escape"
para estresses do dia a dia... Então, o acompanhamento psicológico é fundamental!

Segunda fase: A cirurgia!!!!

Bem, pra quem não sabe, existem vários tipos de cirurgia bariátrica no "mercado". Algumas são mais recomendadas pra homens, outras pra mulheres e outras para aqueles que não tem necessidade de algo tão permanente. No meu caso, foi feita a Bypass gástrico, onde o estômago é grampeado e passa a receber um volume de cerca de 20% ao que era ingerido anteriormente, ou seja, você só consegue comer 20% do que comia! Além da diminuição drástica do tamanho do estômago, também é feito um desvio na parte intestinal, para diminuir a absorção dos alimentos ingeridos. A parte "pegadinha do malandro" aqui é que esse pedacinho inutilizado para  você é JUSTAMENTE o pedaço onde o seu corpinho lindo faz a absorção do açúcar e da lactose... Logo, depois disso você nunca mais conseguirá comer um brigadeiro sem ter um troço chamado DUMPING (tá vendo o porquê do psicólogo???)

Aposto que é essa a cara que o médico faz depois que termina a cirurgia!
"Essa daí nunca mais vai entupir a cara de brigadeiros MUUHUHAHHUAHUA"


Conclusão, você come menos de um terço que comia, e ainda isso não quer dizer que tudo isso será aproveitado pelo seu corpo! Como a cirurgia é feita com uso de câmera, as marcas que ficam no corpo são só furinhos ( de dois ou três pontos cada) na barriga. 
Bom, minha cirurgia correu tudo as mil maravilhas... Incluindo a parte em que meu médico decidiu tirar a vesícula também, pois ela tinha mais pedrinhas que tudo! Você realmente nem vê o tempo passar, injetam um troço maravilhoso em suas veias e você apaga completamente, acordando somente na sala do pós operatório, com aquela impressão de que "já acabou?!?"
O período de internação, quando tudo vai bem (o que foi o meu caso, graças a Deus!), é de dois dias, no qual a única parte chata é a primeira vez em que você levanta da cama... Devo imaginar que deve ser a mesma coisa para as mulheres que dão a luz... Uma sensação de que a barriga vai derreter! kkkkk... Mas calma, isso é só na primeira levantada da cama. Tirando isso, é tudo bem rápido e tranquilo!

Terceira fase: Pós operatório

A bariátrica é uma cirurgia um tanto quanto filosófica, pois nos faz sentir novamente o que é ser um bebê em desenvolvimento. Logo nos primeiros dias, onde seu estômago ainda nem cicatrizou, você precisa mandar nutrientes pra dentro... E como não dá pra bater um prato de comida, tudo tem que ser na forma líquida e em pequeninas quantidades. Para ser mais exata, na primeira semana é tudo de 30 em 30 minutos, líquido, coado, frio... Mas também é quando você tem o maior susto, porque, com essa dieta radical, é quando você tem a maior perda de peso em um curto espaço de tempo. No meu caso, em uma semana perdi 11kg! É um impacto bem significativo, você vê suas primeiras roupas perdidas e o resultado em frente ao espelho... É algo que te faz até esquecer que está tomando sopa rala e fria!
Também nos dez primeiros dias há o risco da trombose, o que faz com que nesse período seja necessário a aplicação de Citroneurim (injetável)... É uma injeção minúscula que não dói... E pode ser aplicada pela própria pessoa na barriga (se tiver sangue frio, e não de barata que nem eu). No meu caso, quem aplicou foi a minha mãe, que parecia sofrer mais do que eu pra aplicar... Embora era um mini enfarto diário, ao ver que ela FECHAVA os olhos na hora de aplicar... Muito medo...

"Vamos aplicar logo a injeção Inajara?"


A partir da segunda semana as coisas vão tomando mais consistência. Entram na dieta mingaus, bananinha amassada, sopa um pouquinho mais grossa... E as roupas continuam sendo perdidas. Nesse ponto, por recomendação da nutricionista, um novo elemento aparece na dieta: o Whey... Sei que vocês estão pensando "AGORA VAI VIRAR MONSTRO!", mas o whey é proteína isolada, e uma das coisas que mais você tem carência na dieta é a proteína. Então, esse vício de bombadinho de academia será o seu principal aliado na dieta do pós, ajudando a aliviar um dos principais sintomas "negativos" da bariátrica: a queda de cabelo acentuada.
Na quarta semana as coisas já estão tomando caminho da normalidade. Você já pode comer macarrão com caldinho de feijão, banana sem ser amassada, torrada com suco... E é claro que a perda de peso já não é absurda, mas ainda é grande.
Quanto aos exercícios, é FUNDAMENTAL que, desde a saída do hospital, seja feita algum tipo de atividade. Claro que de cara não dá pra fazer musculação, mas caminhadas curtas são mais do que necessárias, afinal, ainda há o risco da trombose.


Quarta fase: Retomando a vida

Depois que você completa um mês de operado, o mundo passa a ser um lugar meio estranho, principalmente na parte da alimentação. De cara, você tem muito medo de comer qualquer coisa fora de casa... O que nem é recomendado, porque qualquer grama de gordura a mais na comida tem só um resultado: dor de barriga!
É um pouco constrangedor de cara, mas é tudo parte da adaptação, afinal, seu estômago é como se fosse de um bebê, começando a exeprimentar tudo do zero... Então, tem que ter muita calma... Sem contar que é uma nova fase para sua cabeça também... Sempre acostumada a matar fome com besteiras e grandes quantidades... Agora resumida a uma vida forçadamente saudável. No meu caso, já estou indo para o quarto mês de grampeada, onde as coisas ainda estão aos poucos retornando aos eixos, mas de forma saudável. É preciso ter a cabeça forte, porque a tentação está por todo o lado.

Essa seria eu se antes de ter operado tivesse chegado a febre dos food trucks e 
hamburguerias kkkkkkkk


 No meu caso, uma amante de todos os derivados do leite, se tornar uma intolerante a lactose foi mais difícil do que qualquer abstinência de chocolate... Mas... Ainda bem que hoje em dia o mercado está percebendo o quão importante é oferecer produtos sem lactose... E o leite sem lactose é algo fundamental na minha dieta!
Enfim, ainda é tudo um processo, no qual, ainda estou caminhando, agora com -27kg!!!!

Para verem meu progresso, algumas fotos de antes, e de agora

Antes de operar...

Com 3 meses e meio de operada




Well, essa história ainda tá longe de terminar, mas na próxima quero mostrar algumas receitas maneiras pra se comer quando se é intolerante a lactose e tem problemas com açúcar... Dá pra viver e ser feliz sem eles!!! kkkkk
Até a próxima!

  • Share:

Você pode gostar de:

2 comentários

  1. Caraca!!! tenho que te aplaudir por sua coragem determinação e pelo resultado.
    Eu sou muito medrosa quanto a cirurgias, morro de medo de anestesia e bisturi kkk.
    Parabéns ta gatona.
    bjuxx
    Casa Cherry

    ResponderExcluir
  2. Que determinação!!
    Conheço todo o processo da cirurgia, porque minha amiga operou e quis acompanhar de perto.. Não é uma fase fácil, não é uma decisão fácil por isso admiro quem decide fazer.
    E vendo suas fotos, nota-se a diferença *_*
    Ficou ainda mais linda ^^

    www.saidaminhalente.com

    ResponderExcluir