A história da moda: Anos 70 - Hippies, Punks e Disco!

segunda-feira, setembro 01, 2014

Como vimos no post anterior, o mundo estava em uma agitação que só nos últimos anos da década de 60. Em 1968, um movimento estudantil culminou em uma greve geral que tomou conta de toda a França... E se espalhou pelo mundo. No Brasil, A ditadura militar, que estava em vigor desde 1964, aprovou em 1969 o AI-5. O mundo estava girando rápido demais... E os jovens estavam no ápice de seus movimentos de protesto. Os anos setenta foram o ápice da expressão e extravagância jovem.

A moda hippie

A moda hippie é uma tendência surgida ainda no final dos anos 60. Com a ascensão dos movimentos de contracultura, que priorizavam as modas alternativas, com uma "pegada" mais étnica, vários elementos da moda oriental, especialmente a indiana, passaram a fazer parte do guarda roupa feminino. Saias longas, franjas indígenas, padronagens abstratas orientais passaram a ser itens básicos do guarda-roupa setentista. Além disso, uma gama de acessórios como lenços, peças de couro, bijouterias de madeira, conchas, penas e miçangas, bandanas, chapéus e afins.

Jovem no festival de Woodstock: a moda de protesto

Fancy wear: a resistência ao movimento hippie

Embora fosse generalizado o estilo hippie (muitos adotavam a moda... Mas não a essência), haviam aqueles que se colocavam contra a maré, preferindo não adotar a moda do momento. A moda feminina da fancy wear seguia ainda a tendência extravagante e colorida dos anos 60: vestidos curtos, blazers andróginos, vestidos de noite longos, hot pants, blusas justas e... A sensação dos anos 70 em todos os estilos: as botas.
Item "must" da década sem dúvida foram as botas, ainda aproveitando a ascensão no gosto feminino do final dos anos 60. Apesar das variadas formas, a mais famosa foi a Go-go boot, que são aquelas botas de vinil, ou envernizadas, coloridas ou não, que fizeram sucesso com a personagem Barbarella e com a cantora Nancy Sinatra.

Jane Fonda como Barbarella... E suas Go go Boots

A moda disco!

Em meados dos anos 70 o estilo hippie começou a entrar em declínio, dando lugar a uma moda mais rebuscada e brilhante: a moda disco. A moda disco é uma reunião de elementos extremamente extravagantes baseados em materiais sintéticos. A peça mais famosa entre as mulheres era o wrap dress, ou o vestido envelope, desenvolvido pela estilista Diane von Füstemberg em 73. Diga-se de passagem, este modelo de vestido é um dos mais democráticos já inventados, podendo ser usado por todos os tipos de corpos e para as mais variadas situações. Santa Diane!!!

Diane von Füstemberg em sua criação, o wrap dress

Outra sensação da moda disco era os tecidos com glitter, que iam desde pequenos toques como lenços de pescoço e meias... Até o look completo, como macacões ou vestidos longos de um ombro só. Muita da inspiração do look disco vinha ainda da virada da década, mas tudo com mais brilho e cor... Afinal, eram looks feitos principalmente para a vida noturna. Vestidos tubinho, calças bocas de sino (influência da moda hippie), minissaias e calças. shorts e saias de lycra. Toda essa moda altamente extravagante era para tentar "aparecer" dentro das botas, que com uma iluminação exagerada e ainda com os globos de cristal... Tornava a tarefa de se sentir "glamurosa" um verdadeiro desafio.

Mudelo sueca Ulla Jones na Studio 54, a mais famosa
boate da era Disco

Seguindo a tendência das botas como sensação da década, as botas da moda disco, ao contrário das anteriores, tinham sempre as famosas plataformas (que inclusive também faziam parte dos calçados masculinos) e também saltos transparentes.
Vale a pena falar: esta febre por tecidos e materiais sintéticos é fruto também da crise econômica internacional que o mundo vivia em meados da década de 70, o que gerou uma certa escassez de materiais "naturais".


Os punks e a anarquia da moda


Nada foi tão "bizarro" em termos de moda dos anos 70 como o surgimento da subcultura punk. Era uma total aversão a moda e valores do momento, uma cultura anti-materialista que desafiava o colorido e o brilho da era disco e o pacifismo em tons pastéis dos hippies.
O punk, como uma cultura, surge como uma ramificação política marginal, meio confusa, com pessoas que tinham ideologias independentes e subversivas as costumes sociais... Mas com sua origem bem jovial: musica, moda e comportamento.
Surgido primeiramente nos Estados Unidos com a banda Ramones, os "primeiros" punks se caracterizavam pela simplicidade em contraste com a moda disco: jaqueta de couro, blusa de banda ou branca, calça jeans surrada e tênis. Uma espécie de releitura unissex do estilo "rebelde sem causa" dos anos 50.

Nem preciso apresenter estes rapazes... Mas é preciso lembrar
que as meninas se vestiam do mesmo jeito... E com os mesmos
cortes de cabelo...

Com letras e acordes super simplificados, houve uma explosão de bandas de garagem por todo os Estados Unidos, o que propagou o estilo punk e... Levou rapidamente a influência para a terra da rainha: a Inglaterra.
Na Inglaterra o estilo de vida punk, alavancado pela musica, foi como um estopim em uma geração de jovens culturalmente entediados... Desencadeando o PUNK propriamente dito.
Pela primeira vez uma banda de rock serve de "vitrine" para estilistas: a Banda Sex pistols, que sobre a tutela dos ousados Malcom McLaren, Vivienne Westwood e do baixista da banda Sid vicious, adota uma série de looks com suásticas, símbolos feministas e acessórios sadomasoquistas, num claro deboche aos valores políticos e sociais do momento.

Sid Vicious and Nancy Spungen
O sarcasmo, o faca-você mesmo e a utilização de símbolos e frases famosas em camisetas se tornaram as marcas imortalizadas do punk na moda, imortalizando em seus looks o desprezo pela política dominante e o agudo pessimismo para com a sociedade.


As Panteras, a febre da aeróbica e o fim dos anos 70

Com a chegada do final da década, a moda estava ainda vivendo o ápice da era disco, com suas musas despontando no cinema e nas séries de televisão. A série Charlie's Angels, ou As panteras, trouxe com a atriz Farrah Fawcett duas febres na moda: os maiôs, tanto para praia e para o dia-a-dia... Quanto os cabelos loiros, longos e com permanente.

Farrah Fawcett... O maior símbolo de beleza do final
dos anos 70... Quem dera ter um cabelo tão lindo assim...
Outra febre veio com outro grande símbolo da década: Jane Fonda. Mas a moda dela, saindo do seu estilo Barbarella, não foi a ver com vestuário, mas sim com as medidas femininas.
Para manter a forma, Fonda fazia diariamente aulas de balé, mas, após quebrar o pé nas gravações de The China Syndrome, ela teve que procurar uma nova forma de manter a forma. Foi quando ela começou a praticar aeróbica com Leni Cazden... E lançou uma nova febre e estilo de vida para as mulheres da nova década... que ficará para o próximo, e último, post!

Para encerrar.... Fotos de roupas e estilos dessa década tão multifacetada e colorida... E até a próxima!





















  • Share:

Você pode gostar de:

1 comentários

  1. Nossa que post incrível, ótima explicação. Sério mesmo ♥
    Um fato interessante sobre as fotos : Tudo parece mais natural, não acha? Sem forçar a barra pra parecer estiloso. Nessa época as pessoa eram assim pq realmente gostavam e não pra fazer tipinho e isso é uma das coisas que eu mais admiro nessa época <3

    ━━━━━ «❋† Doce PandemônioFã PageTumblrInstagram †❋» ━━━━━

    ResponderExcluir