Moga - as melindrosas japonsesas

quinta-feira, maio 15, 2014

Ilustração de uma Moga, c. 1920
Certas tendências e hábitos são bem interessantes de se analisar dentro de seu próprio contexto de origem. Por exemplo, já me perdi em quantas vezes já falei sobre as melindrosas americanas. Mas... A moda flapper não ficou só nos Estados Unidos, e aí que está a beleza da coisa... Em cada lugar que ela chegou, ao chocar-se com os costumes nativos, deu origem a novas feições e estilos, cada um mais colorido e divertido
que o outro.
Hoje, falarei das Modern girls, ou Moga (abreviação japonesa de modan garu), as melindrosas do Japão. Para nós moderninhas, que nascemos em uma época e cultura tão liberal (mas que ainda precisa melhorar) com relação as mulheres, fica difícil para nós entendermos a verdadeira revolução que o estilo flapper proporcionou as japonesas na década de 20.
Como uma boa professora de história, vou fazer um resuminho sobre o que era o Japão na década de 20.

Japão na década de 20.

No início dos anos 20, o Japão se encontrava no meio do Período Taisho (durante o reinado do imperador Taisho, 1912-1926), marcado muitos problemas políticos e econômicos. O Japão ainda era uma ilha no extremo oriente querendo competir de igual pra igual com as potências ocidentais. Apesar da singular prosperidade após a Primeira Guerra Mundial, conquistando territórios no Pacífico e China, a democracia Taisho ainda tinha sérios problemas políticos e sociais (pra ter uma idéia , nos aos 20 ainda não se tinha o sufrágio universal masculino... Que dirá o feminino) que... Culminariam em 1931 no Golpe militar... Aí já é outra história...

As mogas

Modern girls passeando em Tóquio, 1922
Além da turbulência política, social e econômica, a cultura japonesa via-se também bombardeada com a chegada dos hábitos e costumes ocidentais. As modern girls foram as japonesas que entraram de cabeça nas modas ocidentalizadas. Além das roupas e maquiagens, elas também queriam a almejada
liberdade que as ocidentais agora também experimentavam. Pela primeira vez, elas buscavam uma independência financeira e emocional. Mas... Como sempre... A sociedade japonesa preferiu rotular e restringir a imagem das melindrosas japonesas a frivolidade e consumismo. Mas isto era a visão de uma sociedade que agora se deparava com suas meninas se livrando dos kimonos e entrando em vestidinhos curtos e esvoaçantes.
De fato, elas levavam um estilo de vida bem leviano em meio as agitações políticas... Mas... Não seria isto um protesto? Afinal, você passar a vida inteira ouvindo que você deve ser uma boa esposa e mãe, e só isso... Devia ser bem cansativo né. Arrumar um emprego, viver por conta própria, fumar, ir a bares, ao cinema... Coisas meio bestas hoje em dia... Mas para as mogas... Uma revolução! Uma quebra de tradição de séculos!

As revistas e novelas das modern girls

anúncio de cosméticos na revista Josei
As revistas femininas ainda eram uma grande novidade no Japão, mas encontrara um terreno fértil para difundir o estilo ocidental das meninas através de propagandas de cosméticos e de roupas. Shufu no Tomo (amiga da dona de casa), fundada em 1917 e Josei (mulher), fundada em 1922, eram as principais difusoras do estilo flapper, através de artigos, dicas de moda e aconselhamentos. Josei era a mais famosa e a considerada a "Bíblia da modern girl".
Outro grande sucesso entre as meninas, melindrosas ou não, eram as novelas com as mogas. A mais famosa entre elas foi Naomi, de Jun'ichirô Tanizaki. Escrita em 1924, de março a junho publicada no Morning news de Osaka, e os capítulos restantes na Josei, o romance foi um sucesso tão grande que causou indignação nos mais velhos.
Moga de Kimono
O romance traz a história de Joji, um trabalhador assalariado cansado de todo o tradicionalismo, que se vê apaixonado por uma mulher de traços ocidentais, a Naomi. Joji resolve ensinar o estilo de vida ocidental a Naomi, afim de faze-la se livrar do compromisso de noivado e fugir com ele. Mas, à medida que ela se vê imersa nas novas ideias e pensamentos de liberdade flapper, ela passa a dominar por completo Joji, que se torna um mero provedor das vontades de Naomi.
Quando o romance foi publicado por completo, houve uma explosão de mogas pelo Japão, todas procurando trabalho para manter o seu estilo de vida ocidental.

O fim das mogas.

Infelizmente com o fim da democracia Taisho, as coisas que já eram agitadas, ficaram piores ainda, e as mogas, símbolo da ocidentalização, viram seu fim chegar. Depois do golpe militar de 1931, a política nacionalista radical japonesa proibiu o estilo flapper e forçou a volta do estilo "boa esposa, mãe sábia" do século XIX.

Para encerrar este post, vejam alguns anúncios e fotos das mogas dos anos 20! E espero que tenham curtido.




 
 

 























  • Share:

Você pode gostar de:

4 comentários

  1. Amo o Japão!!!! Obrigada por mostrar um pouco da história deles, ótimo post ;)

    http://marianaalb.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Perfeito como sempre =)

    XoXo

    vintagepri.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Bom Dia Inajara!
    Curti seu post sobre as mogas, eu amo a cultura japonesa! Foi bom conhecer um pouco do estilo das melindrosas de outro país. Lindas ilustrações! Pena que o estilo delas se perdeu no tempo. Eu preciso te linkar no meu bloguito! Farei isso agora! Super beijo, desejo uma boa semana para você. Carinhosamente, Cris do blog Mix da Cris Retrô!

    ResponderExcluir
  4. Bom Dia Inajara como vai?
    Gostei muito do seu post nos apresentando as melindrosas japonesas, eu nem sabia da existência das mogas. Pena que esse estilo acabou se perdendo no tempo. Apesar de serem conhecidos pela constante inovação o povo japonês também é caracterizado pela tradição e formalidade em seus costumes , pude perceber isso quando assisti o
    filme "Memórias de uma Gueixa". Isso é que eu gosto no seu blog sempre com temas variados e com conteúdo interessante. Desejo uma boa semana! Ah Vou te linkar no meu bloguito! Até mais! Beijokas

    ResponderExcluir