A história dos cabelos - Parte II

terça-feira, dezembro 17, 2013

Continuando o post anterior, neste me aprofundarei nos estilos de penteados, cores e cortes de duas décadas bem interessantes, a de 30 e 40... Décadas bem interessantes e que ainda perduram em muitas coisas em nosso estilo.


1930 - a volta da "feminidade"



Os acontecimentos da sombria quinta feira negra do dia 24 de Outubro de 1929 (para quem não souber,
me refiro ao Crash da bolsa de valores de Nova York, que levou não só os EUA, mas o mundo para dentro
da crise de 1929) varreram como um furacão toda uma geração. Chegava assim o fim dos loucos anos 20 e a queda de ícones de estilo como as melindrosas. Seus famosos cortes de cabelo super curtos e masculinizados dão lugar a cortes mais suaves e femininos, na altura dos ombros, ganhando ondas em toda a sua extensão.
Outro marco de estilo é o início da Era de ouro do cinema Hollywoodiano, onde surgem as divas e ícones de beleza, como Mae West, Greta Garbo, Jean Harlow, Joan Crawford, Marlene Dietrich e Bette Davis. Hollywood, através de suas atrizes conseguiu enfim por fim a era das melindrosas substituindo a silhueta masculinizada por cortes e roupas que evidenciassem as curvas femininas. Tudo isto coroado por cabelos cuidadosamente cacheados e adornados por pequenos chapéus, que tinha pro influência principalmente os trabalhos da estilista Elsa Schiaparelli.
Jean Harlow e Mae West também foram as "cabeças" de uma nova forma de ícone, as loiras platinadas, que levaram milhares de mulheres a fazer misturas perigosas (chegando a usar além da famosa água oxigenada, água sanitária!!!!) para tingir os cabelos e atingir o loiro quase branco destas beldades das telonas. Tudo na caça do platinado perfeito, nem que ficasse careca no meio do caminho...
Impossível pensar em um cabelo na década de trinta sem as ondas, famosas finger waves, ou cachos, os pin curls, estas foram as marcas da década. Estes cachos e ondas eram feitos com os famosos papelotes, os rolinhos ou os moderníssimos babyliss.


1940 - O homefront e estrelas de cinema



Com a chegada dos anos 40, os cabelos das mulheres cada vez se distanciavam mais da sua herança
melindrosa, se tornando mais longos e conservadores. Com o advento da Segunda Guerra Mundial, o chamado feito para que as mulheres fossem de suas casas para as fábricas ajudarem o esforço de guerra fez com que assuntos frívolos como cuidados com a beleza virassem assunto de segundo plano. Pelo menos era isso que pensavam a primeiro momento. As pessoas subestima a criatividade feminina, e nesse espaço de tempo de 5 anos, surgiram acessórios e estilos de cabelo que até hoje causam inveja.
Enquanto as mulheres se juntavam as forças armadas, construíam pontes, navios, aviões, armas... Seus cabelos estavam sempre protegidos pelos lenços, bandanas (ao estilo Rosie the riveter) e redes, amarrados das mais variadas formas, todos mantendo a elegância e o glamour mesmo no homefront. A amarração mais famosa é a do turbante, que ficou imortalizado na figura da brasileiríssima Carmem Miranda.
 Muitas mulheres hoje tentam imitar com muito esforço, mas nem se tocam de que isto era uma necessidade básica das moças que tinham que proteger suas madeixas do maquinário... E que sofriam com o racionamento, no qual elas se viam obrigadas a lavar seus cabelos só em casos extremos. 
O comprimento dos cabelos acabou se restringindo a altura dos ombros para a facilitação na hora de trabalhar, na maioria das vezes cortado em  forma de U. As famosas ondas nos cabelos dos anos trinta continuaram nesta década, principalmente pela influência de atrizes Rita Hayworth, Betty Grable, Veronica Lake, Carole Lombard e Ava Gardner. A despeito da realidade do conflito, estas atrizes eram verdadeiros escapismos para as mulheres... E homens, já que estas beldades participavam das campanhas de arrecadação de bônus de guerra e com ensaios sensuais, dando início ao mito das pin ups como nós conhecemos.
Fora do ambiente de trabalho, as mulheres tinham vários penteados interessantes, mas o verdadeiro ícone dos anos 40 foi o Victory roll. O nome deriva de uma expressão da RAF (royal air force) que, ao voltar de uma batalha, costumavam fazer manobras acrobáticas no ar, o victory roll. 


Mais uma vez encerro o post com alguns tutorias chuchu beleza para quem tiver vontade tentar reproduzir esses estilos que acho que são os queridinhos da maioria dos que amam a cultura vintage. 











  • Share:

Você pode gostar de:

2 comentários

  1. Adorei o post... hairstyle do anos 40 e 50 são os meus preferidos!
    Tô fazendo uma sessão no meu blog também de hairstyle e make de cada década... parei nos anos 30 e nunca mais tive tempo de continuar :( vou tomar esse post como incentivo para terminar essa sessão que eu tanto goatei de fazer hehe
    Beijooo

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Laís.... Eu fiz um post também sobre make dos anos vinte, mas também não dei continuidade... Mas no futuro quem sabe... kkkkk
    Fico feliz pelo retorno ^^
    beijo

    ResponderExcluir