8 fatos sobre mim que ninguém sabe

quarta-feira, novembro 27, 2013

Primeiramente, antes de começar a devanear em meu novo post, peço desculpas pela minha ausência. De vez em quando a vida da gente parece se embolar de tal forma que ficamos mentalmente esgotados, sem idéias, sem ânimo de fazer algo tão simples como postar algo em um blog. Essas ultimas semanas tem sido um bom tanto complicadas, tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo, que nem tinha tempo para pensar em postar algo aqui, o que me deixa muito triste, pois este blog é meu refúgio...

Emfim... Porque este post de hoje? Bom... Está rolando essa correntinha no facebook, e até cheguei a responder por lá... Sobre fatos sobre você mesmo que ninguém (pelo menos a maioria) não saiba. Pra mim foi até difícil fazer, porque eu sempre fui uma pessoa do tipo que conta a vida toda pra todo mundo, então quem me conhece uns 20 minutos já sabe quase toda minha história de vida (exagerinho).

Enfim, resolvi transformar neste post que aí posso falar com mais calma alguns deles...

1. Sou muito faladeira (isso é bem óbvio). Gosto muito de conversar, tanto pessoalmente quanto online. Mas algumas pessoas acham que eu sou muito calada e introvertida (introvertida sou mesmo...). Na verdade, amo falar, mas gosto de conversas que me estimulam, se não gosto da conversa, acabo me calando mesmo, é natural. Não consigo gostar de participar de uma conversa sobre temas dos quais eu desconheço ou ache maçantes, como Big Brother ou novelas, sobre essas coisas até evito falar, porque seus
fãs quando ouvem minhas opiniões sobre esse tipo de "entreterimento" costumam virar meus "haters". Acho que por essas e outras me acham um tanto arrogante e metida... kkkkkkkkkkkkkkkkk
Geralmente fico apaixonada por pessoas que consigo falar de tudo um pouco, quero me tornar a amiga número 1 pois estas em meu universo são raras... Afinal é difícil achar pessoas pra falar sobre cinema, história, atualidades, política, arte, futebol, viagens, devaneios... Pessoas assim a gente sempre quer por perto... Infelizmente as que eu conheço não moram a menos de 200 Km de distância de mim, por isso é comum me ver mais na internet que pessoalmente.

2. Sempre tive problemas com a minha imagem. Sempre disse que sempre fui gorda, como se isso fosse algo ruim... Hoje em dia fico até revoltada só de pensar na época em que eu estava realmente abaixo do peso e as pessoas falavam que eu estava gorda, e eu ficava muito triste com isso. Esse é o preço que a
gente paga por ouvir demais os que os outros pensam de você, menos o que você pensa de si mesma. O negócio é que sempre fui do tipo mais "corpulenta", mesmo quando meu peso estava normal. Tinha cintura fina mas as pernas bem grosas (tinha não... Tenho). Mas hoje em dia não ligo de estar fora dos padrões. A única coisa que me preocupa mesmo é saúde, enquanto eu for cheinha mas com saúde... Tá valendo...

3. Se tem uma das coisas que mais valorizo e procuro preservar em minha vida são as minhas amizades. Nessa era de redes sociais, onde você coleciona centenas de amizades, é complicado arranjar verdadeiras amizades, mas eu consegui, poucas, mas consegui. Isso sem contar com meus amigos dos tempos de escola, que eu os considero por demais, e eles sabem. Boas amizades, que duram mesmo, são cada vez mais raras e devem ser tratadas como verdadeiras jóias. Me preocupo com os problemas deles, as vezes até compro as brigas deles... Porque eu os amo demais...

4. Sou uma pessoa completamente musical. Minhas
maiores frustrações são ter nascido sem nenhum talento para musica, tanto canto quanto habilidade para tocar instrumentos. Invejo muito isso em meus irmãos, que sempre tiveram essa incrível capacidade. Eu fui legada pela natureza a só saber admirar o fruto do talento alheio. Mas pelo menos posso me gabar de meu senso extremamente eclético para a música. Minhas preferências passam desde a musica clássica, como Tchaykovsky, Wagner, Lizt... Passa pelo jazz dos anos 20  e 30, com Louis Armstrong, Louis Prima, Paul Whiteman, Duke Ellington... Pelo rockabilly de Buddy Holly, Bill Halley, Little Richard, Chuck Berry, Elvis... As modinhas dos anos 50 e 60 como The
Chordetter, The Marvelettes, Frank Lemon and The teenagers, Andrews Sisters, The Temptations... Bandas e artistas dos anos 60 e 70 como The Beatles, Beach Boys, The archies, Nancy Sinatra, ABBA, The mamas and The papas, Bob Dylan, Pink Floyd, Queen, The Clash, Blondie... Até chegar em coisas atuais como Muse, The Killers, Artic Monkey... Sou verdadeiramente eclética... KKKK

5. Não gosto de rotinas... Gente, nada pior que cair em determinadas rotinas. um tédio sem fim. A vida necessita de que saiamos da rotina de vez em quando. Acho que por isso que tenho um gosto tão eclético... Cada vez gosto de alguma coisa diferente... Tenho minha época mais Jazz, mais moderna, mais vintage... O que não sou é 100% alguma coisa... Não consigo ser em totalidade nada... Sou uma colcha de retalhos... kkkkk

6. Amo aprender sobre curiosidades sobre outros países, em especial da Europa. Isso me faz ser uma das maiores fãs de documentários do tipo "Discovery Atlas" e programas como "Vai pra onde?" do Multishow... Eles alimentam meu sonho de um dia eu consegui terminar meu curso de alemão, italiano e francês... E sair
visitando toda a Europa só com uma mochila nas costas... Conhecer todos aqueles lugares que eu li nos livros de história e vi nos documentários, andar pelas ruas que já presenciaram milhares de anos de histórias que eu nem faço idéia... Toda aquela profusão de passado e presente exatamente à minha volta... Este ano que vem tinha planos de ir à França tentar realizar parte deste meu sonho, mas infelizmente babou... Mas fica pra próxima... A Europa terá de me esperar um pouco mais...

7. Tenho fé em Deus e tenho uma "religião". Mas... Acho que tudo aquilo que li, incluindo a Bíblia, e todas as pessoas que eu conheci me fizeram ter uma visão mais respeitadora das crenças dos demais. Acho que isso é fundamental. Eu sou evangélica, e não escondo isso de ninguém, e nem por isso destrato católicos, ateus, politeístas e afins. Meus pais sempre me ensinaram que a gente deve estar onde a gente se sente bem, onde Deus fala ao nosso coração, e respeitar o que os outros acreditam. E essa é a minha premissa de vida. Respeitem minha opção que ser que respeito de boa a de qualquer um! Esse é o barato de se viver em uma democracia, a liberdade de poder ser e pensar o que quiser!

8. Tenho verdadeira TARA por cortar cabelos. É algo que vai além de meter as tesouras nas madeixas, é um símbolo de constante reinvenção que me utilizo há dez anos... Tinha os cabelos beeeeeeeem longos, que batiam na bunda... Mas, após uma fase bem trash da vida, cortei pela primeira vez, e foi uma experiência arrebatadora, que eu não largo mais... Já tive vários cortes de cabelo ao longo dessa década, alguns que
amei, outros que prefiro esquecer, mas nem por isso paro com isso. É muito legal ainda ver a reação das pessoas, que se sentem um pouco espantadas pelo "novo", a cara de inveja da coragem em poder se renovar e até daqueles que reprovam por achar que cabelos longos é a "essência" da feminidade... Essas são as que mais me divertem com o seu pensamento atrasado.

Well... É isso... Um pouco mais sobre minha pessoa...


  • Share:

Você pode gostar de:

0 comentários