Porque amar Coco Chanel?

sexta-feira, setembro 27, 2013

Infelizmente, não sou uma daquelas pessoas abençoadas que podem andar por aí vestidas de forma deslumbrante, exibindo as maiores obras de arte em termos de moda produzidas pelas mais refinadas e conceituadas marcas da alta costura. Mas isso não me impede que eu possa admirá-las. Não só pelo ponto de vista das criações, mas pelo que elas fizeram por nós mulheres.
De todas as estrelas do universo fashionista, a minha "heroína" é a Coco Chanel. É simplesmente incrível o que esta pequena francesa, crescida em um orfanato, conseguiu fazer por nós mulheres simplesmente... Costurando!
Assim como eu fiz com a Clara... Vou listar aqui dez motivos (com certeza são mais do que dez!) para se amar Gabrielle Chanel!


1 - Esta pequena menina, nascida em Saumur foi largada em um orfanato, a Abadia de Aubazine, pelo seu pai após a morte da mãe. Ela nunca mais viu o seu pai... A vida humilde e austera no orfanato foi sempre uma inspiração nas criações de Chanel

2 - Após sair do orfanato, Gabrielle trabalhava durante o dia todo costurando, e a noite cantava em um cabaré para oficiais do exército, onde ela recebeu o apelido de "Coco". Neste tempo ela começou a inventar novos estilos de roupas, inspirados no vestuário masculino, e novos chapéus, sem aquelas penas e flores pesadas, trazendo o conceito de que o simples é mais chique.

3 - Seu Grande amor, Boy Capel, foi um dos únicos a enxergar o futuro brilhante de Chanel, e investiu na crianção de suas primeiras boutiques em Paris, Deauville e Biarritz. Uma primeira revolução foi na cabeça da sociedade. Fazendo as mulheres ricas usarem seus chapéus de palha simples e originais.


4 - Após mudar a cabeça, ela investiu para revolucionar a silhueta feminina. Encurtou os vestidos mostrando os tornozelos, tirou o fardo angustiante do espartilho, cortou os cabelos e bronzeou a pele, nos lançando diretamente a uma nova era de conceitos de moda, onde ela aparece para libertar as mulheres física e mentalmente. A mulher agora tem direito ao conforto!

5 - Mesmo após perder o seu grande amor em um acidente de carro, Coco deu continuidade a sua obra. A Mademosielle  se dedica a ajudar os seus amigos, como abrigar a família de Stravinsky e patrocinar a sua obra prima, A sagração da Primavera; ajuda Cocteau com a sua reabilitação e paga o enterro de Daighlev em Veneza. 


6- Junto a Ernest Beaux, ela cria o perfume que se tornaria a epítome do que é ser feminina, o Chanel n.5, uma combinação de flores e ingredientes exóticos que criam uma nova sensação de odores, com uma embalagem austera e minimalista que até hoje arrebata os sentidos de milhares.

7 - Ela tira a estigma do luto do preto, uma cor destinada as vestimentas em velórios, para dar uma nova concepção. O preto é luxo, é elegância, é a peça necessária de todo guarda-roupa feminino. Ela cria o "pretinho básico".

8 - Enjoada de ver as mulheres carregando verdadeiros "cofres" em seus pescoços, Coco decide revolucionar também nos acessórios. Desenha várias bijouterias, leves, simples e chiques, para dar elegância e leveza ao look. Sua frase era "O que importa não são os quilates, mas sim a ilusão".

9 - Com a eclosão da Segunda Guerra, Gabrielle fecha as portas de sua casa de costura. "Este não é um tempo para a moda...". Muda-se para a Suíça. Ao reabrir a sua maison, ela desafia novamente os estilistas, trazendo uma moda de tailleurs em meio a um mundo de cinturas marcadas e saias godê. A moda européia desdenha... A americana a trata como uma nova revolução!

10 - Mesmo com mais de setenta anos, Chanel continuou a trazer novas tendências que até hoje são atemporais, como os tailleurs, as sandálias beges com o bico preto, a bolsa metalassê com alça de corrente, e o perfume Chanel n. 19. Em sua morte, Andre Marlaux declarou sua célebre frase "neste século três homens permaneceram: DeGaulle, Picasso e Chanel.


Para quem curte ver mini biografias, recomendo assistir os vídeos a seguir, uma belíssima produção da marca Chanel que conta um pouco da história de sua fundandora!




  • Share:

Você pode gostar de:

0 comentários